segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Falando do Streptococcus B

A respeito do Streptococcus anal e vagina...

Eu desconhecia este exame, até que uma prima minha que ganhou nenê em nov/2014 me falou a respeito dele e por coincidência na consulta de 30/06 dias após minha conversa com esta prima a medica obstetra me deu a guia solicitando este exame, então decidi pesquisar a respeito do tal também conhecido como exame do cotonete.

Achei dados não tão assustadores no site do Baby Center. Segue abaixo algumas informações.

O que é? 

O estreptococo do grupo B é um tipo de bactéria que com frequência existe no intestino das pessoas. Essas bactérias podem acabar "colonizando" a vagina também, e aí existe o risco de transmissão ao bebê durante o parto. 
A infecção por estreptococo do grupo B na vagina não é considerada uma doença sexualmente transmissível, porque muitas vezes a área genital pode ser contaminada pelas bactérias que vivem na própria mulher. 
Embora seja perigoso para bebês, principalmente prematuros, o estreptococo B não costuma provocar sintomas em adultos, e na maioria das vezes é inofensivo para a mulher. 



Deu positivo. E ai???

Os médicos costumam administrar o antibiótico na veia, na maternidade, antes de o bebê nascer. O objetivo é dar o antibiótico enquanto acontece o trabalho de parto, durante pelo menos quatro horas antes do parto. Não é indicado fazer tratamento nos meses anteriores, nem mesmo com o uso de cremes vaginais. 
O resultado do seu exame deve estar escrito no cartão de pré-natal, mas em todo caso vale a pena você avisar na maternidade, assim que se internar, que seu exame para estreptococo B deu positivo. Se você souber que tem resultado positivo, não espere muito para ir para o hospital quando desconfiar de que o trabalho de parto começou, para garantir que há tempo de tomar o antibiótico. 
Dependendo do hospital ou maternidade, muitas vezes o procedimento padrão é tratar toda mulher que não tiver o exame. Em outros lugares, os médicos decidem dar o antibiótico para quem não tem um positivo somente em casos especiais, como de parto prematuro. 
Para cesarianas marcadas com antecedência, a administração do antibiótico não é necessária, porém várias maternidades acabam dando dose única do remédio como prevenção. 


Qual é o risco de uma infecção por estreptococo B no bebê?

O estreptococo do tipo B pode causar a sepse neonatal precoce, uma infecção que afeta o sangue e que pode ser muito perigosa. Também pode causar outras doenças como a pneumonia e a meningite logo na primeira semana de vida. 
Esse tipo de infecção tem uma mortalidade maior em prematuros. Também pode deixar sequelas. 



Por que o exame não é feito mais cedo?

O teste para estreptococo B só é útil se realizado bem perto do parto, a partir da 35a semana de gravidez, porque esse tipo de bactéria pode voltar a aparecer depois do tratamento. 
Não adiantaria nada você tomar remédio contra a bactéria no começo da gravidez, porque na hora do parto ainda existiria o risco de haver bactérias presentes na região da vagina. 
O tratamento com antibióticos somente é eficaz na prevenção de infecções se for feito durante o parto. 
A única exceção é se você tiver uma infecção urinária na gravidez causada pelo estreptococo B. Nesse caso, você vai tomar antibióticos por via oral, não importa em que fase da gestação esteja, e perto do parto poderá fazer novamente o teste para ver se vai precisar dos antibióticos na veia ou não. 


Como é o procedimento para fazer o exame?


O preparo é banho normal com água e sabonete e caso usou 7 dias antes do exame algum remédio deve informar no momento do exame.

Deita-se numa maca em posição ginecológica e com um cotonete é colhido secreção próximas a vagina, não existe penetração da haste na vagina. Outra haste é utilizada para colher a secreção próxima ao anus, não existe penetração da haste no anus, é apenas próximo. Ambas as hastes são armazenadas em diferentes recipientes e pronto acabou! Receba o resultado e seu ginecologista é o melhor profissional a lhe indicar o que fazer.

Se eu fiquei nervosa com o meu resultado positivo?, NÃO, em nenhum momento, é preventivo, é a medicina para ajudar, 1 em cada 3 mulheres possuem e eu encarrei com muita calma e serenidade. Creio que estamos no caminho correto para recebermos nossa Princesinha, eu queria uma cesariana?, NÃO, mas já não criei expectativas exatamente para não me decepcionar, era algo que eu não queria de forma alguma, mas foi digerido com muita calma e meu pré natal graças a Deus foi acompanhado de maneira muito satisfatória pela obstetra e confio que ela escolheu o melhor.
Sei que muitas coisas hoje nos induzem para a cesária, mas é o preço da minha consciência tranquila, caso eu bata o pé e diga não farei uma cesária, tenho medo de pagar um preço que não desejo, é meu coração materno que não quer colocar uma filha em risco, se o risco fosse só meu quem não sabe toparia. Se for para os planos mudarem Deus entrará em ação.

Beijos...

2 comentários:

  1. Nao sabia mesmo nada a respeito...mto obrigada por fazer o post
    bjo

    ResponderExcluir
  2. Esclarecedor... não sabia da importância!
    Bjos

    ResponderExcluir